[The nurse's view on leprosy treatment in primary health care]

Printer-friendly versionSend by email
Title[The nurse's view on leprosy treatment in primary health care]
Publication TypeJournal Article
Translated TitleA visão do profissional enfermeiro sobre o tratamento da hanseníase na atenção básica
AuthorsDayanne Alves Ribeiro M, da Silva Castillo I, Carlos Araujo Silva J, Brito Oliveira S
Abbrev. JournalPromoção da saúde
JournalRevista brasileira em promoção da saúde
Year of Publication2017
Volume30
Issue2
Pagination221-228
Publication Languageeng, por
KeywordsCombination, Drug Therapy, Leprosy, Nursing, Primary Health Care
Abstract

Objective: To evaluate Primary Health Care (PHC) nurses’ view on leprosy treatment. Methods: Qualitative descriptive study conducted with nine nurses working in the municipality of Cocal, Piauí, Brazil, from January to March 2016. Data were collected using guiding questions about leprosy treatment and the answers were transcribed and submitted to content analysis. Results: The nurses stated that polychemotherapy is effective in the treatment of leprosy, as well as in reducing the burden of disease and curing the patient. Supervision is related to correct treatment, guarantee of cure, reduction of sequelae and interruption of disease transmission. Treatment failure is mainly associated with patient’s and family’s lack of engagement, lack of medication at the health clinic, lack of patient guidance, low levels of education, and drug side effects. Noncompliance with or cessation of treatment were related to complications such as aggravation of symptoms, disabilities, and amputations. Conclusion: The study showed that the nurses evaluated have adequate knowledge about aspects of leprosy treatment in PHC, highlighting points that must be corrected in order to achieve excellence in the fight against leprosy, such as the importance of encouraging family participation as a coadjutant in the treatment.

Translated Abstract

Objetivo: Avaliar a visão dos enfermeiros atuantes na Atenção Básica (AB) sobre o tratamento da hanseníase. Métodos: Pesquisa do tipo descritiva, com abordagem qualitativa, realizada com nove enfermeiros que trabalham no município de Cocal, Piauí, Brasil, entre os meses de janeiro a março de 2016. A coleta de dados deu-se através de questões norteadoras sobre o tratamento da hanseníase e as respostas foram transcritas e ponderadas pela análise de conteúdo. Resultados: Os enfermeiros afi rmaram que a poliquimioterapia é efi caz para o tratamento da hanseníase, assim como para a redução da carga da doença e cura do paciente. A supervisão está relacionada ao tratamento correto, garantia de cura, redução de sequelas e interrupção da transmissão da doença. A falha no tratamento está associada principalmente à falta do engajamento do paciente e da família, à ausência de medicação no posto de saúde, à carência de orientação ao paciente, ao baixo nível de escolaridade e aos efeitos colaterais dos remédios. A não adesão e o abandono do tratamento foram relacionados às complicações, como o agravamento de sintomas, as incapacidades e as amputações. Conclusão: O estudo mostrou que os enfermeiros avaliados possuíam conhecimento adequado sobre aspectos do tratamento da hanseníase na AB, evidenciando pontos que devem ser corrigidos para que se alcance excelência no combate à hanseníase, como a importância de incentivar a participação da família como coadjuvante no tratamento.

DOI10.5020/1806123010.5020/18061230.2017.p221
Download PDFhttp://periodicos.unifor.br/RBPS/article/viewFile/6349/pdf_1